segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Fréderic Chopin (1810-1849) - Noturnos

Desde que ouvir este CD com os Noturnos de Chopin há alguns dias, senti-me estimulado a postá-lo. É simplesmente a condensação do lirismo chopiniano, numa das páginas mais belas da história da música. "Em Chopin, Noturno significa um canto livre da sua intimidade, pôr meio da qual conta uma história íntima que o músico não poderia exprimir de outra forma. Chopin baseou-se num modelo próximo, os noturnos do irlandês Field, mas submeteu-os a tal modificação que apenas poderemos notar um vago parentesco entre os dois músicos. Nos últimos noturnos encontramos sonoridades e uma escrita pianística próximas do impressionismo". O que há de fato é a certeza de que a música do polonês é docemente infantil. Acerca de Chopin, diz a História que Schumann assim se expressou: "Tirem os chapéus, senhores, um gênio!" E o compositor provou isso. Conquistou a França. Possuía as idiossincrasias requeridas pela burguesia francesa: era gentil, fino, educado, elegante. Tais predicados o ajudaram. Chopin era um jovem de alma triste e canções que silenciavam os ouvintes. Ouvi-lo nos dá uma sensação de quietude triste e reflexiva. Ele era um anjo soturno. Suas peças nos põe impressões melancólicas no coração. Mas, como é bom ouvi-lo! Na condução dessa música cheia de poderes de mistério, temos Maria João Pires. Boa apreciação!

Alguns dados extraídos DAQUI.

Fréderic Chopin (1810-1849) - Noturnos

Disco 1

01. No.01 in B flat minor, Op.9 No.1- Larghetto
02. No.02 in E flat major, Op.9 No.2- Andante
03. No.03 in B major, Op.9 No.3- Allegretto
04. No.04 in F major, Op.15 No.1- Andante cantabile
05. No.05 in F sharp major, Op.15 No.2- Larghetto
06. No.06 in G minor, Op.15 No.3- Lento
07. No.07 in C sharp minor, Op.27 No.1- Larghetto
08. No.08 in D flat major, Op.27 No.2- Lento sostenuto
09. No.09 in B major, Op.32 No.1- Andante sostenuto
10. No.10 in A flat major, Op.32 No.2- Lento

Disco 2

01. No. 11 In G minor, Op. 37 No. 1 - Andante
02. No. 12 In G major, Op. 37 No. 2 - Andantino
03. No. 13 In C minor, Op. 48 No. 1 - Lento
04. No. 14 in F sharp minor, Op. 48 No. 2 - Andantino
05. No. 15 In F minor, Op. 55 No. 1 - Andante
06. No. 16 in E flat major, Op. 55 No. 2 - Lento
07. No. 17 In B major, Op. 82 No. 1 - Andante
08. No. 18 In major, Op. 82 No. 2 - Lento
09. No. 19 In E minor, Op. post 72 No. 1 - Andante
10. No. 20 In C sharp minor, Op. post - Lento
11. No. 21 In C minor, Op. post

Maria João Pires, piano

BAIXAR AQUI Disco 1
BAIXAR AQUI Disco 2


Por Carlos Antônio M. Albuquerque
Have Joy!

* Se possível, deixe aqui um comentário!

7 comentários:

Emerson Rodrigues disse...

Maravilhosa a interpretação de Maria João Pires.
Tive a oportunidade de ouví-la tocar em Ribeirão Preto-SP, em Novembro de 2009, com a Sinfonica de Ribeirão, tocou o 3º de Beethoven, e no bis uma sonata para violino e piano junto com Claudio Cruz. Saí embevecido do teatro.

Carlinus disse...

Que privilégio, Emerson!

Saudações musicais!

jg disse...

Que maravilha este blogue,..adoro musica clássica ha que diga que este tipo de musica esta ultrapassada,..eu digo que musica clássica e atemporal e bela.

jg disse...

Maravilhoso este blog,;;;parabéns.

Unknown disse...

Maravilhada com seu blog, encantador local de visitar com frequência ao som da boa música onde acalenta a minha alma.
Grata, Raminhos de Pano blog

Anônimo disse...

A Interpretação da Maria João Pires é minha favorita.
Muito obrigado.
O blog é incrivel, um tesouro para a humanidade, sem dúvida.
Continuem o trabalho brilhante!
Obrigado

Kriptux disse...

Op.9 No.2 em Mi bemol maior, é uma das formas que a perfeição encontrou para se expressar. Inefável.