sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Anton Bruckner (1824-1896) - Te Deum in C major, Wab. 45 e Psalm 150, Wab. 38

Adquiri este material de Anton Bruckner por aí. Ainda não havia escutado esta obra. Não disponho de maiores informações sobre ele. Refiro-me à interpretação. O Te Deum é um hino litúrgico católico atribuído a Santo Agostinho e a Santo Ambrósio. É iniciado pelas palavras latinas Te Deum Laudamus. Uma tradução aproximada seria "A Vós, ó Deus, louvamos". Segundo a tradição da Igreja, estes hinos teriam a sua gênese na Catedral de Milão quando esses dois santos tiveram um arroubo de fervor religioso. Bruckner consegue, como lhe é peculiar, construir uma densa massa sonora, que nos faz pensar em hostes celestiais. É como se tivéssemos chegado ao paraíso e contemplassêmos querubins e serafins melômanos. Outra peça que ainda surge é o Psalm 150. Conforme, mostra-se no texto bíblico, é uma canção de exaltação a Deus. Um hino de louvor. É o fechamento do Saltério hebraico, ou seja, a reunião dos salmos. Os Salmos são poemas criados, escritos, por vários sujeitos da história de Israel. Bruckner se utilizou do último poema do livro, que possui uma caracteírtica eminentemente glorificadora. É característico do compositor. Suas peças possuem esta densidade peculiar. Bruckner é o homem dos mosteiros barrocos escondidos e encravados no coração das montanhas. Sua alma era uma catedral cheia de temores religiosos. Infelizmente, não possuo maiores informações obre os intérpretes da obra. Mas, mesmo assim, desejo a você uma boa apreciação!

Anton Bruckner (1824-1896) - Te Deum in C major, Wab. 45 e Psalm 150, Wab. 38

Te Deum in C major, Wab. 45
01. Te Deum laudamus
02. Te ergo quaesumus
03. Aeterna fac
04. Salvum fac populum tuum
05. In te Domine speravi

Psalm 150, Wab. 3806. Psalm 150

????

BAIXAR AQUI

*Se possível, deixe um comentário!

4 comentários:

Unknown disse...

Belíssimo

bruce disse...

Thank you.
Celibidache has opened my ears to a great experience.

Dirceu Scarparo Vargas disse...

Entrou como um raio em minha alma.
Como é celestial este Te Deum.
E o time que atua é divino também.
Grato. Um abraço do Dirceu.

Anônimo disse...

Caro Carlinus, se não estou enganado trata-se de uma versão dessas obras regidas por Helmut Hilling, num cd em que conta também a missa n.2, do mesmo compositor.
Obrigado e parabéns pelo excelente trabalho com que você tanto nos disponibiliza!