domingo, 8 de dezembro de 2013

Johannes Brahms (1833-1896) - Ein deutsches Requiem, Op. 45

Talvez, esta tenha sido a primeira versão do Réquiem de Brahms cuja audição realizei. E como todo primeiro amor, as marcas são inesquecíveis. É uma gravação primorosa, realizada por Carlo Maria Giulini, esse grande regente italiano, morto no ano de 2005. Por si só, o Réquiem de Brahms já uma realização que foge aos adjetivos. É uma música elegante, digna das grandes arquiteturas musicais. Brahms como era costumeiro, realizou uma obra cujo nível de paixão e profundidade embriaga a todo aquele escuta esse trabalho de grande envergadura. Em dados momentos, eu preciso ouvir esta obra para restaurar a minha sanidade. É assim que fiz hoje à noite. Aconselho que você faça o mesmo. Uma boa apreciação!

Johannes Brahms (1833-1896) - 

Ein deutsches Requiem, Op. 45
01. I. Selig sind, die da Leid tragen
02. II. Denn alles Fleisch es ist wie Gras
03. III. Herr, lehre doch mich
04. IV. Wie lieblich sind deine Wohnungen
05. V. Ihr habt nun Traurigkeit
06. VI. Denn wir haben hie keine bleibende Statt
07. VII. Selig sind die Toten

Você pode comprar este disco na Amazon

Wiener Philharmoniker
Carlo Maria Giulini, regente
Barbara Bonney, soprano
Andreas Schmidt, barítono
Rudolf Scholz, órgão


*Se possível, deixe um comentário. Sua participação é importante. Ela juda a manter o nosso blog vivo!

6 comentários:

charlles campos disse...

Estou fazendo, Carlinus! Estou fazendo!

Carlinus disse...

O que achas dessa obra, Charlles?

Carlindo José disse...

O Réquiem Alemão é fantástico, o mais profundo dos Réquiens, que se dirige para os vivos, que nos conforta com a esperança de que aqueles que se foram estão salvos pois tiveram fé.

Obrigado pela excelente postagem, só lembrando que hoje é o aniversário de Jean Sibelius, o gênio finlandês, que compôs obras belíssimas e profundas.

Carlindo José disse...

O Réquiem Alemão é fantástico, o mais profundo dos Réquiens, que se dirige para os vivos, que nos conforta com a esperança de que aqueles que se foram estão salvos pois tiveram fé.

Obrigado pela excelente postagem, só lembrando que hoje é o aniversário de Jean Sibelius, o gênio finlandês, que compôs obras belíssimas e profundas.

Carlinus disse...

Carlindo, obrigado pelo comentário! Não sabia que era o aniversário de Sibelius. Amanhã, talvez, eu faça uma postagem em homenagem ao finlandês.

Abraços musicais!

charlles campos disse...

Muito bonita, Carlinus! E que capa bonita também a do cd. Só a capa já é uma viagem.