terça-feira, 9 de outubro de 2018

Alexander Scriabin (1872-1915) - The piano sonatas

Já havia postado a maior parte dessas sonatas para piano sob a interpretação de Ashkenazy. Agora, elas aparecem interpretadas por Roberto Szidon. Elas possuem uma variação de humor bastante intensa. É bem ao estilo de Scriabin. Possui a linguagem das emoções e vai fundo nesse sentido. O compositor era místico. Enveredou-se pelo caminho dos insights e queria fazer da sua música uma porta dimensional para mundos em que se pode presenciar uma profusão de cores. Viveu no final do século XIX na Rússia. Foi contemporâneo de Glazunov. Chegou a ser aluno de Arensky. Sua obra mais famosa é o espetacular Poema do Êxtase. Não deixe de ouvir este disco de linguagem atraente. Uma boa apreciação!

Alexander Scriabin (1872-1915) - 

DISCO 01

Piano Sonata No.1 in F minor, Op.6
Piano Sonata No.2 In G Sharp Minor, Op.19 “Sonata Fantasy”
Piano Sonata No.3 in F Sharp Minor, Op.23

DISCO 02

Fantasy in B minor, Op.28
Piano Sonata No.4 in F sharp major, Op.30
Piano Sonata No.5 in F sharp major, Op.53
Piano Sonata No.6, Op.62
Piano Sonata No.7 (“White Mass”), Op.64

DISCO 03

Piano Sonata No.8, Op.66
Piano Sonata No.9, Op.68 “Black Mass”
Piano Sonata No.10, Op.70
Sonata-Fantasy in G Sharp Minor, WoO 6
Sonata in E Flat Minor, WoO 19

Roberto Szidon, piano

Você pode comprar este disco na Amazon

BAIXAR AQUI

*Se possível, deixe um comentário. Sua participação é importante! Ela ajuda manter o nosso blog vivo!

4 comentários:

Dirceu Vargas disse...

Szidon ,Virtuoso Pianista Brasileiro,nascido em Porto Alegre e falecido em 2011 aos 69 anos na Alemanha. Grato pela postagem Carlinus. Forte abraço do Dirceu.

Bruno Lorenzo disse...

Muito interessante a interpretação do Szidon da Quinta Sonata! Muito instável e tempestuosa, como Goethe dizia: tempestade e ímpeto. Parece que tudo vai explodir a qualquer momento, mesmo nos trechos mais lentos (e o Szidon faz questão de serem BEM lentos) a sensação de tempestade e impetuosidade é onipresente. Não gostei muito da Quarta, acho que ele tentou fazer uma aproximação parecida e não coube muito. A op. 28 dele é famosa por ser a melhor versão, e é, sem dúvida alguma. Agradeço muitíssimo pela publicação!

Bruno Lorenzo disse...

Muito interessante a interpretação do Szidon da Quinta Sonata! Muito instável e tempestuosa, como Goethe dizia: tempestade e ímpeto. Parece que tudo vai explodir a qualquer momento, mesmo nos trechos mais lentos (e o Szidon faz questão de serem BEM lentos) a sensação de tempestade e impetuosidade é onipresente. Não gostei muito da Quarta, acho que ele tentou fazer uma aproximação parecida e não coube muito. A op. 28 dele é famosa por ser a melhor versão, e é, sem dúvida alguma. Agradeço muitíssimo pela publicação!

Bruno Lorenzo disse...

Muito interessante a interpretação do Szidon da Quinta Sonata! Muito instável e tempestuosa, como Goethe dizia: tempestade e ímpeto. Parece que tudo vai explodir a qualquer momento, mesmo nos trechos mais lentos (e o Szidon faz questão de serem BEM lentos) a sensação de tempestade e impetuosidade é onipresente. Não gostei muito da Quarta, acho que ele tentou fazer uma aproximação parecida e não coube muito. A op. 28 dele é famosa por ser a melhor versão, e é, sem dúvida alguma. Agradeço muitíssimo pela publicação!