segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Joseph Haydn (1732-1809) - Symphony No. 92 in G Major "Oxford", Symphony No. 94 in G Major "Surprise" e Symphony No. 96 in D Major "Miracle"

Receber os dignavéis títulos de "pai da sinfonia" e "pai do quarteto de cordas" não é para qualquer um. Mas o fato é que Haydn os possui. É dele essa honra. Particularmente, gosto bastante dele. Não o considero um gênio na acepção do termo. Julgo que ele dominou a técnica e a arte de compor. Era um exímio compositor, porém não do quilate de Beethoven ou Mozart. Falta algo a ele. Falo besteira? Mas, em momentos para o qual não há explicações, vemo-nos ouvindo as suas obras e nos sentimos satisfeitos. É isso: as obras de Haydn existem para nos deixar alegres e satisfeitos. Nada mais. A interpretação proporcionada por George Szell é redonda, enxuta, não tira nem põe; apenas uma expressão exata, objetiva; Szell parece ir ao ponto sem maiores rodeios, sem ressaibos nem titubeios. Ao final, temos um bom trabalho. Já ouvi outras interpretações melhores para essas mesmas obras, mas a execução szellina é satisfatória; e ao final, vemo-nos satisfeitos. Nada mais! Uma boa apreciação!

Joseph Haydn (1732-1809) - Symphony No. 92 in G Major "Oxford", Symphony No. 94 in G Major "Surprise" e Symphony No. 96 in D Major "Miracle"

Symphony No. 92 in G Major "Oxford"
01. I. Adagio - Allegro spiritoso
02. II. Adagio
03. III. Menuetto (Allegretto) - Trio
04. IV. Presto

Symphony No. 94 in G Major "Surprise"
05. I. Adagio - Vivace assai (Album Version)
06. II. Andante (Album Version)
07. III. Menuett. Allegro molto - Trio (Album Version)
08. IV. Finale. Allegro di molto (Album Version)

Symphony No. 96 in D Major "Miracle"
09. I. Adagio - Allegro
10. II. Andante
11. III. Menuetto. Allegretto
12. IV. Finale. Vivace assai

Você pode comprar este disco na Amazon

Cleveland Orchestra
George Szell, regente

BAIXAR AQUI

*Se possível, deixe um comentário. Sua particpação é importante. Ela ajuda a manter o nosso blogo vivo!

2 comentários:

Pedro disse...

Espero, amigo, que você encontre o "muito a mais" do que a frívola alegria que há na obra do sempre vilipendiado Haydn. Detalhe: quem acusou a obra de Haydn de frívola foi o mal-agradecido Beethoven, discípulo seu. Sugiro-lhe começar pelas obras "Sturm und Drang". Se quiser indicações lhe passo, com prazer.

lucio disse...

'sem comentários'

[...]

http://harkavagrant.com/index.php?id=219