sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Dmitri Shostakovich (1906-1975) - Violin Concerto No. 1 in A minor, Op. 99 e Violin Concerto No. 2 in C sharp minor, Op. 129

Achei por bem postar este maravilhoso CD, porquanto desde o momento em que pude ouvi-lo, fiquei absurdamente satisfeito. Traz os dois concertos para violino de um dos meus compositores favoritos - Shostakovich. A música de Shosta sempre foi geradora de um intenso mistério em mim. Existe um profundo senso trágico, de lamento, de dor velada, de angústia represada, talvez fruto de suas emoções incotidas; de seu silêncio aflito. Quiça eu possua um pouco do compositor soviético em mim. Shosta seria quem foi em qualquer lugar do universo. Li isso uma vez num te xto escrito pelo Milton Ribeiro. Verifiquei que ele foi muito feliz nessa assertiva. De fato, em se tratando de Shostakovich, o regime soviético serviu apenas como um aspecto contigente em seu amâgo como ser histórico. O compositor se portaria como essa figura introvertida, silenciosa e de alma vulcânica, mesmo em outro país. Gosto muito dessas gravações da Naxos. A Naxos possui um charme curioso. Sinto-me compelido a postar tudo o que consigo dela. Um bom deleite!

Dmitri Shostakovich (1906-1975) - Violin Concerto No. 1 in A minor, Op. 99 e Violin Concerto No. 2 in C sharp minor, Op. 129

Violin Concerto No. 1 in A minor, Op. 99
01. I. Nocturne
02. II. Sherzo
03. III. Passacaglia
04. IV. Burlesque

Violin Concerto No. 2 in C sharp minor, Op. 129
05. I. Moderato
06. II. Adagio
07. III. Adagio - Allegro

Você pode comprar este CD na Amazon

Polish National Radio Symphony Orchestra (Katowice)
Antonio Wit, regente
Ilya Kaler, violino


BAIXAR AQUI

*Se possível, deixe um comentário. Sua participação e importante!

4 comentários:

Anônimo disse...

Querido amigo Carlinus,

Após um período de férias, retomo à constante e deliciosa leitura de nosso estimado blog. Percebi que também estiveste com pouco tempo pelo número reduzido e o intervalo de postagens. Aproveitei para dar " um pitaco ": na sexta-feira, dia 21 de janeiro, o tenor multimídia Plácido Domingo completou 70 anos e acredito que nosso augusto blog não pode deixar passar em branco tão importante data, já que os grandes nomes do século XX da lírica estão nos deixando. Como o blog não tem tradição operística, lembrei-me de Mozart e de uma de suas óperas - " Idomeneo - Re di Creta ". Plácido Domingo gravou-a pelo selo amarelo ( DG - Deutsche Grammophon ) e seria interessante trazer ao público de seu blog esta homenagem. Também há um álbum, se não me falha a memória, editado pela EMI com gravações de árias de Mozart interpretada pelo tenor espanhol.
E olhe que não citei as gravações do Maestro Domingo interpretando Wagner ! ( rsrs ) Aí seria pedir muito... Mas você postou, há algum tempo, a gravação que considero uma das melhores em ópera com Domigo: " La Traviata " com elenco irrepreensível - Ileana Cotrubas e Sherril Milnes nos papéis de Violetta e Giorgio Germont, respectivamente regida com perfeição pelo falecido maestro Carlos Kleiber - e eleita há alguns anos como " the best choice " pela revista inglesa " Gramophone ".
Temos disponível um " Die Meistersinger " com Domingo na pele de Walther von Stolzing mas a gravação compromete pela interpretação mediana de Dietrich Fisker-Dieskau - excelente barítono mas deslocado na exigência do papel, principalmente na sua ária final ( Verachtet mir die Meister nicht ) em que soa pouco dramático e convincente, mostrando-se simplesmente correto e não o grande Fisker-Dieskau que se conhece através dos Lieder que gravou. Aliás, o papel de Hans Sachs não é para qualquer um mas isso é motivo para outra postagem.
Harmoniosos e musicais abraços, como sempre parabéns pela excelência de teu blog, do teu amigo wagneriano confesso, A.C.C.

Carlinus disse...

Caro amigo wagneriano, perdoe-me por não responder instantaneamente à sua mensagem. Não tenho tido muito tempo para alimentar o blog com novas postagens. Estou trabalhando todos os dias. Tenho para mais de 100 CDs enviados no Mega, mas postar é sempre um trabalho que exige inspiração. E às vezes não tenho nenhuma - sinceramente.

Ficarei devendo a você esta gravação com Domingos. Não lembro se tenho. Como você bem afirmou, o blog não possui uma tradição operística, algo para a qual já estou envidando esforços a fim de dirimir. Separei algumas óperas para postar e espero fazê-lo ao longo dos próximos meses - Saint-Säes (Sansão e Dalila, se não estou enganado); Richard Strauss (Salomé); Britten (Peter Grimes, Billy Budy(?), Morte em Veneza); Debussy (Pelleas et Melisande); Mozart (As Bodas de Figaro e Don Giovanni); algumas de Wagner (Rienzi, O Crepúsculo dos Ídolos, Tristão e Isolda); e algo de Handel, Monteverdi e dos modernos. Acredito que estes sejam trabalhos salutares e que merecem atenção.

Abraços musicais sinceros e obrigado pelo carinho.

Anônimo disse...

Caríssimo amigo Carlinus,

A máxima da pós-pós-modernidade pode ser expressa na famosa expressão latina: " Tempus fugit ! ". De fato, tempo em plena era da informática e das máquinas desempenhando papéis que antes exigiam dias, por incrível que pareça é o que menos se pode ter. Eu mesmo vivo às voltas com o temível e temido Chronos. Falando acerca de tua resposta, não cuides de desculpar-se. Sabemos bem o quanto é difícil manter as atividades laboriosas com o lazer cultural.
Quanto à seleção de óperas que listaste, não podias ter sido mais feliz ! As obras em questão são muito importantes e significativas, abrangendo os grandes períodos da História da Música. E outro aspecto interessante é que ousaste ( e com bastante êxito ) sair do usual : Verdi-Puccini, que parecem onipresentes - não os despreando, em absoluto, pois a contribuição de ambos para a História da Música e da Lírica, em particular, é sem igual. Bastavam de Verdi " Aída ", " Othello " e " Falstaff " assim como a " Tosca " e " Turandot " de Puccini para que os divisores de água na composição musical fossem estabelecidos.
Apesar de não ser o prato principal do blog o gênero operístico, demonstraste conhecimento e bom gosto apurado em tua seleção. É como digo: visitar teu blog é prazer e obrigação - algo como Francesco Maria Piave, o libretista de " La Traviatta " de Verdi escreveu para essa obra: " (...) croce ed delizia, delizia al cor ! "
por parte daqueles que, como nós, somos viciados na boa música.
Harmoniosas saudações e o agradecimento pela acolhida generosa e sincera e pela excelência de teu trabalho aqui no " infomar ", cujas águas são sedutoras e que fazem por onde querer navegar e desbravar. Como diria Pessoa, em " Mar Português ":
" Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma nao é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu."

De teu amigo wagneriano confesso, A.C.C.

Paulo Musicólatra disse...

Caro 'Ser da Música'.. baixei este CD com os concertos I e II p/ violino do Shosta.. muito bons! Obrigado pelo post, baixei e já pude apreciar. Parabéns pelo blog e os posts estão excelentes. Valeo!