segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) - Requiem in D minor, K. 626

Sou apaixonado pelo Réquiem de Mozart. Não me canso de escutá-lo. Penso que ele seja um modelo de perfeição em matéria de música com caráter religioso. É uma missa feita em homenagem aos mortos. Alguns sujeitos que gostam de amarrar as pontas da história a fim de enxergar ordem em tudo, afirmam que Mozart teria escrito a obra em homenagem a si mesmo. Ou seja, uma missa de réquiem para o seu próprio funeral. O fato é que hoje é uma data importante para os cristãos. É o dia dos mortos. Pensando nisso, resolvi postar essa versão do Réquiem de Mozart, gravado em 1962. Fiquei impressionado com a qualidade. Não hesito em afirmar que se trata de uma das melhores versões que já escutei. Não deixe de ouvir. Uma boa apreciação!

Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) - 

Requiem in D minor, K. 626
01.  Introit - Requiem aeternam (Chorus)
02. Kyrie eleison (Chorus)
03.  Sequence No.1 - Dies Irae (Chorus)
04. Sequence No. 2 - Tuba mirum (Soprano, Mezzo-soprano, Tenor, Baritone)
05. Sequence No. 3 - Rex tremendae majestatis (Chorus)
06. Sequence No. 4 - Recordare, Jesu pie (Soprano, Mezzo-soprano, Tenor, Baritone)
07. Sequence No. 5 - Confutatis maledictis (Chorus)
08. Sequence No. 6 - Lacrimosa dies illa (Chorus)
09. Offertory No. 1 - Domine Jesu Christe (Chorus)
10 . Offertory No. 2 - Hostias et preces (Chorus)
11. Sanctus (Chorus)
12. Benedictus (Soprano, Mezzo-soprano, Tenor, Baritone)
13.  Agnus Dei (Chorus)

Wiener Philharmoniker
Wiener Singakademie
Carl Schuricht, regente

Você pode comprar este disco na Amazon

BAIXAR AQUI

*Se possível, deixe um comentário. Sua participação é importante. Ela ajuda a manter o nosso blog vivo!

Um comentário:

Dirceu Scarparo Vargas disse...

Fecho com teu comentário Carlinus e me parece que o Time de Solistas
alçam um poder vocal magistral.Grato e um forte abraço do Dirceu.