sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Philip Glass (1937 - ) - The Concerto Project. Vol. 4

Chegamos ao quarto volume dessa série de discos que postei ao longo da semana. Para mim, tal empreendimento se mostrou bastante revelador. A música de Glass é um excursão pelo "interior de nós mesmos", como disse o assíduo visitante e comentarista do blog, o Dirceu. No quarto disco temos, ao meu modo de ver, aquela que é uma das obras mais bonitas do compositor, o Concerto para piano e orquestra (Tirol). O segundo movimento é espetaculoso. Uma reflexão repleta de intimidade. Não deixe este e os demais discos. Uma boa apreciação!

Philip Glass (1937 - ) - 

01. Double Concerto for Violin, Cello and Orchestra - Duet No.1
02. Double Concerto for Violin, Cello and Orchestra - Part 1
03. Double Concerto for Violin, Cello and Orchestra - Duet No.2
04. Double Concerto for Violin, Cello and Orchestra - Part 2
05. Double Concerto for Violin, Cello and Orchestra - Duet No.3
06. Double Concerto for Violin, Cello and Orchestra - Part 3
07. Double Concerto for Violin, Cello and Orchestra - Duet No.4
08. Tirol Concerto for Piano and Orchestra - Movement I
09. Tirol Concerto for Piano and Orchestra - Movement II
10. Tirol Concerto for Piano and Orchestra - Movement III

The Hague Philharmonic
Stuttgart Chamber Orchestra
Dennis Russel Davies, regente

Você pode comprar este disco na Amazon

BAIXAR AQUI

*Se possível, deixe um comentário. Sua participação é importante. Ela ajuda a manter o nosso blog vivo!

2 comentários:

Dirceu Scarparo Vargas disse...

Além do belo Concerto para Piano, os violinos choram uma contagiante melancolia meditativa.
Lendo um pouco sobre Glass, ele foi o autor da trilha sonora do filme " Koyaanisquatsi " de 1982 em que Imagens e Música se completam e o efeito é maravilhoso.Obrigado Carlinus e um abraço do Dirceu.

Carlindo José disse...

Tenho acompanhado as postagens e considero muito interessante a música minimalista, com melodias bastante reflexivas e belas, embora conheça apenas John Adams, que é fantástico. Espero que Philip Glass seja tão bom quanto, e peço por mais postagens do Adams.

Muito obrigado pela postagem.