quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Alban Berg (1885-1935) - Concerto para violino (To the Memory of an Angel) e Benjamin Britten (1913-1976) - Concerto para violino, Op. 15

Britten é um compositor que muito aprecio. Sua linguagem me fascina. Há drama, força e criatividade em suas obras. Seu concerto para violino, curiosamente, tem sido pouco executado nas salas de concerto. Esse fato é uma pena, pois o concerto para violino de Britten possui uma linha melódica maravilhosa e aquela sensibilidade típica do inglês - às vezes àspera, às vezes repleta de lirismo. Daniel Hope é um violinista da safra nova e que promete bastante. Ficou a ele a responsabilidade de revelar-nos a mestria de dois nomes magistrais da música do século XX - o adorado e estimado Britten e Alban Berg, discípulo de Schoenberg. Não deixe de ouvir. Uma boa apreciação!

Alban Berg (1885-1935) - Concerto para violino (To the Memory of an Angel)
01. Part I. Andante-Allegretto
02. Part II. Allegro-Adagio

Benjamin Britten (1913-1976) - Concerto para violino, Op. 15
03. I. Moderato con moto-Agitato-Tempo
04. II. Vivace-Animando-Largamente-Cadenza
05. III. Passcaglia. Andante lento

Você pode comprar este CD na Amazon

BBC Symphony Orchestra
Paul Watkins, regente
Daniel Hope, violino

BAIXAR AQUI

*Se possível, deixe um comentário. Sua participação é importante! Ela ajuda manter o nosso blog vivo!


2 comentários:

Beto Todampusica disse...

Carlinus,

Em primeiro lugar muito obrigado pelo seu maravilhos trabalho!

Também acho Britten um dos mais importantes compositores de todos os tempos!

Quanto ao concerto para violino do Alban Berg, o único comentário possível é: divino.

Em tempo: como você se parece com o Graciliano Ramos; impressionante.....

Mais uma vez: muito obrigado.

Beto Todamúsica

Carlinus disse...

Beto, obrigado pelo comentário. Sou apaixonado por Britten. Com relação à foto, ela é do próprio Graça. É que sou tão apaixonado pela literatura do alagoano, que coloquei a foto dele no meu perfil. Para mim, ele é um dos maiores escritores de todos os tempos.

Abraços musicais!