quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Jazz - Miles Davis (1926-1991) - Kind of Blue

Postagem jazzística mais que especial. Há muito que tencionava postar Kind of Blue. Hoje no final da tarde e princípio da noite, escutei três vezes seguidas este disco. Talvez, demore mais cem anos para surgir um disco como Kind of Blue, de Miles Davis. É mais do que um disco. É uma realização que enaltece a arte criativa do ser humano. O disco foi gravado em 1959 e, segundo especialistas, é considerado como um dos melhores discos de jazz da história. Se colocássemos os cem sucessos imortais da indústria fonográfica no século, certamente, Kind of Blue constaria nesse rol. O disco foi gravado no lendário 30th Street Studio, em Nova York, entre março e abril de 1959. Miles chamou um time absurdamente imbatível: Julian "Cannonball" Adderley - saxofone; John Coltrane - saxofone; Bill Evans - piano; Wynton Kelly, piano; Paul Chambers, contrabaixo; Jimmy Cobb, bateria; além no próprio Miles no trompete. Disco absurdo! Músicas como So What ou All Blues são para serem ouvidas por dias seguidos. A postagem traz a gravação em mono e stereo. Não deixe de ouvir. Uma boa apreciação!

Miles Davis (1926-1991) - 

01. So What
02. Freddie Freeloader
03. Blue in Green
04. All Blues
05. Flamenco Sketches

Você pode comprar este disco na Amazon


*Se possível, deixe um comentário. Sua participação é importante. Ela juda a manter o nosso blog vivo!

4 comentários:

Anônimo disse...

Grande disco.
Há muito tempo o procuro
com qualidade que ele merece.
Obrigado por compartilhar essa preciosidade.
Parabéns pela qualidade.
Abraços.

Elgatosierra disse...

¡Muchísimas gracias CARLINUS...!
Una música maravillosa en la mejor versión posible.
Me reitero, muchísimas gracias CARLINUS.
Salud, paz, sonrisas y muy cordiales saludos.
Elgatosierra

Agnaldo Sousa Matos disse...

King of Blue, é até hoje sem rival na história do jazz, Miles consegui, aproximar em uma tarde, uma moçada do primeiro quadro da cena jazzistica, a série blue de Miles é deveras maravilhosa, se possível CARLINOS, posta os outros, ficariamos plenos de alegria e júbilo.

Agnaldo Matos

Dirceu Scarparo Vargas disse...

Trompete mais lírico que este não existe. Obra-prima. Grato.Abraço.
Dirceu.