domingo, 25 de maio de 2014

Benjamin Britten (1913-1976) - War Requiem, Op. 66

O Réquiem da Guerra, de Britten, é uma obra singular e que bem representa aquilo que foi o século XX - "a era dos extremos". O presente disco é recente. Foi lançado em novembro do ano passado, pela comemoração dos cem anos de nascimento desse prolífico compositor inglês. Seu Réquiem nos estremece. Diferente da maioria dos réquiens, que possuem uma abordagem religiosa, o Réquiem de Britten é um manifesto contra as agruras da guerra. É por assim dizer uma manifestação política do compositor. Em 1958, Britten foi contratado para escrever um Réquiem para a reinauguração da Catedral de Conventry, destruída pelos alemães durante a Segunda Guerra Mundial. Todavia, Britten fugiu do dirigismo do texto litúrgico tradicional e, com texto do poeta Wilfred Owen, escreveu essa monumental obra. Owen lutara na Primeira Grande Guerra e as marcas do combate ficaram jungidas em seu coração. A presente gravação e bela e comovente. Não deixe de ouvir. Uma boa apreciação!

Bejamin Britten (1913-1976) - War Requiem, Op. 66

01. Requiem Aeternam; Te Decet Hymnus
02. What Passing-Bells For These Who Die As Cattle; Kyrie Eleison
03. Dies Irae, Dies Illa
04. Bugles Sang, Saddening The Evening Air
05.  Liber Scriptus Proferetur
06.  Out There, We'Ve Walked Quite Friendly Up To Death
07. Dies Irae, Dies Illa
08. Recordare
09. Be Slowly Lifted Up
10. Move Him Into The Sun; Pie Jesu, Domine
11. Domine Jesu Christe; Sed Signifer Sanctus Michael
12. Quam Olim Abrahae
13. Isaac & Abram; Hostias Et Preces Tibi
14. Quam Olim Abrahae (Reprise)
15. Sanctus
16. After The Blast Of Lightning From The East
17. Agnus Dei- One Ever Hangs Where Shelled Roads Part
18. Libera Me
19. It Seemed That Out Of Battle I Escaped
20. None Said The Other
21. Let Us Sleep Now; In Paradisum; Requiem Aeternam; Requiescant In Pace

Você pode comprar este disco na Amazon

Coro e Voci Bianche dell'Accademia Nazionale di Santa Cecilia (Roma)
Anna Netrebko, soprano
Ian Bostridge, tenor
Thomas Hampson, barítono
Sir Antonio Pappano, regente

BAIXAR AQUI

*Se possível, deixe um comentário. Sua participação é importante. Ela ajuda a manter o nosso blog vivo!

Um comentário:

Anônimo disse...

Bela postagem,este Réquiem nos leva a refletir e analisar mais a vida e a humanidade como um todo.A música nos tira do comodismo e nos incida a pensar,a viver como dizia sócrate, viver uma vida examinada.