domingo, 19 de junho de 2016

Ludwig van Beethoven (1770-1827) - Piano Concerto No.2 in B flat, Op. 19 e Anton Bruckner (1823-1896) - Symphony No.4 in E flat - "The Romantic"

Que disco, meus amigos! Que disco! Trata-se de uma gravação realizada em 1981, com o lendário Klaus Tennstedt à frente da poderosa Filarmônica de Berlim. O repertório é outra escolha irretocável do disco. O primeiro compositor a surgir é Beethoven. Interpretação digna do grande compositor. A segunda obra é de Bruckner, a Sinfonia "Romântica", de Bruckner (que surgiu com Karl Böhm semana passada). Observe que Bruckner quando aparece por aqui, aparece em grande estilo. A interpretação de Bruckner de Tennstedt é daquelas que revelam os segredos ocultos, dispersos em meio à massa sonora de boa música. É muita beleza contida nessa montanha musical. É granítico e monumental ao mesmo tempo o Bruckner de Tennstedt. Tive que ouvir o primeiro movimento duas vezes. Disco de audição imprescindível. Um bom deleite!

DISCO 01

Ludwig van Beethoven (1770-1827) -

Piano Concerto No.2 in B flat, Op. 19
01. I. Allegro con brio
02. II. Adagio
03. III. Rondo- Molto allegro

DISCO 02

Anton Bruckner (1823-1896) -

Symphony No.4 in E flat - "The Romantic"
01. I. Bewegt, nicht zu schnell
02. II. Andante quasi allegretto
03. III. Scherzo- Bewegt - Trio. Nicht zu schnell
04. IV. Finale- Bewegt, doch nicht zu schnell

Berliner Philharmoniker
Klaus Tennstedt, regente
Bruno Leonardo Gelber, piano

Você pode comprar este disco na Amazon

BAIXAR AQUIparte1
BAIXAR AQUIparte2

*Se possível, deixe um comentário. Sua participação é importante. Ela ajuda a manter o nosso blog vivo!

Make Money Online : http://ow.ly/KNICZ

4 comentários:

Mario Olivero disse...

Hats off!!

Postagem muito, muito interessante. Tennstedt parece ter sido bem pouco auto-confiante, mas deixou algumas gravações maravilhosas. Gosto particularmente de uma Pastoral e das Sinfonias 5 e 6 de Mahler, a última, uma gravação feita ao vivo.

Certamente vou ouvir mais do que duas vezes esses discos.

Parabéns pelo blog!

Dirceu Scarparo Vargas disse...

Klaus incendiou a orquestra com Bruckner. Um testamento de tirar o fôlego. Grato e um forte abraço do Dirceu.

Leandro disse...

Meu Deus, que disco! Ouvi três vezes em sequência.
Carlinus, agradecimentos sem tamanho pra você. Principalmente em termos de Brasil, o seu blog é uma chama acesa entre a escuridão da banalidade virtual. Sei que é cansativo, duro e por vezes aparentemente sem propósito. Mas por favor, Continue!

BlueOx disse...

Depois dessa recomendação, fiquei ansioso por ouvir! Fiquei muito intrigado pelo "um bom deleite". Deve ter sido uma experiência diferente!!!